Meu Melhor Erro - Isabel

20-Jun-2017

 

Uma das coisas mais difíceis para a maior parte dos seres humanos é reconhecer um erro. Normalmente por que ele nos remete a punição, ao fracasso e inevitavelmente a culpa.

 

Fomos criados para sermos perfeitos! Só que perfeição não existe!

 

Por isso, achei inovadora a ideia da NOZ Pesquisa e Inteligência em convidar as pessoas a refletirem sobre seus melhores erros, então lá vai o meu melhor erro: eu me comparava aos outros.
 

Fiz comigo por muito tempo, devido a minha deficiência física (sou cadeirante) sempre precisei superar muitos obstáculos, físicos ou não, e não havia toda essa conversa de inclusão, de igualdade para todos. Se eu queria ir a algum lugar tinha que me virar, aceitar as condições que existiam.

 

Eu acreditei que eu era a diferente, que eu tinha que me adaptar. Quando me comparava com as pessoas, achava que tinha que fazer igual, mesmo não tendo as mesmas condições e oportunidades.

 

Vez por outra, todos nós nos comparamos a alguém: pais, amigos, artistas, etc., se olharmos suas qualidades e compararmos com nossos defeitos, saímos perdendo, não há outra maneira de se fechar essa conta.

 

Passei muito tempo me encaixando, me adaptando, comparando minhas habilidades, não me permitindo errar; mas o bom do amadurecimento é que você começa a questionar algumas “verdades”, eu passei a ver que todos temos nossas deficiências, nossas dificuldades e nossas impossibilidades. Não podemos tudo... ou antes, podemos tudo que realmente queremos. 

Passei a ver que os lugares sem inclusão é que eram deficientes, não eu. 

Escrevendo agora parece fácil, mas foi um caminho longo (que aliás ainda percorro), doído e muitas vezes solitário. 


 

Meu melhor erro foi me comparar, por que se de início me senti “menor”, hoje me mostra que me fortaleceu, busquei sempre o meu melhor, percorri muitos caminhos para me encontrar. Conheci pessoas incríveis que me ensinaram a ver minhas qualidades, e principalmente aprendi que se o mundo não acolher com respeito as pessoas com suas infinitas diferenças, então esse mundo ainda precisa melhorar. E o mundo somos todos nós(z).

 

 

Isabel Passos,

pedagoga, reikiana, cadeirante, a virginiana mais desorganizada que alguém já conheceu. Apaixonada pelos animais. Numa viagem interminável por me conhecer melhor.

Compartilhar
Compartilhar
Please reload

Posts Em Destaque

Impacto da NOZ na Estratégia de Negócios

August 11, 2016

1/1
Please reload

Posts Recentes

April 18, 2017

April 10, 2017

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon